Como liderar os jovens da atualidade? Conheça mais sobre a geração Z

Você provavelmente já deve ter ouvido falar em termos como Geração Y, Geração X e outros como Millennials e Geração Alpha, certo? Mas o que significa tudo isso?

Analisar as diferenças entre essas gerações é descobrir como a nossa sociedade funciona, em diversos âmbitos. Trabalho, família, crença, estilo de vida e política. Cada uma delas corresponde a um tipo de característica predominante, e por consequência dita algumas regras de comportamento, consumo e trabalho.

Para os líderes é importante compreender como cada pessoa funciona, claro que em tese, afinal todos somos únicos. No entanto, as características das gerações são um ótimo começo para compreender o perfil dos seus liderados.

Portanto, o intuito deste post é falar um pouco sobre os anseios, motivações e ambições de gerações  X, Y e Z. Embora que ao longo do texto iremos focar na geração Z. Uma vez que essa é a geração mais nova, ainda pouco compreendida, mas que irá dominar o mercado e instituições nos próximos anos.

Geração X, Y e Z

Três das gerações estão convergindo e vivendo experiências de trabalho e estudos ao mesmo tempo. A Geração X, que é a geração nascida antes dos anos 80, mas depois dos Baby Boomers; Geração Y, ou Millennials, nascidos entre 1984 e 1996; e Geração Z, aqueles que nasceram depois de 1997 e que são os próximos a entrar no mercado de trabalho.

Uma pesquisa conduzida pelo INSEAD Emerging Markets Institute, pela Universum e pela HEAD Foundation, com 18 mil profissionais e estudantes das três gerações em 19 países, mostrou diferenças importantes nas aspirações e valores de cada uma das três gerações.

Em um artigo à Harvard Business Review, Henrik Bresman, um dos pesquisadores envolvidos no projeto, disse que os resultados da pesquisa podem ser usados por empresas e instituições que buscam reter, desenvolver e atrair profissionais talentosos dessas três gerações.

No entanto, abrangendo um pouco mais esses resultados podem ser usados como análise e criação estratégicas em outros âmbitos, além dos profissionais. Conhecendo melhor como cada uma dessas gerações lida com liderança, tecnologia e quais são suas ambições é possível compreender quais são os valores dessas pessoas. E por consequência aproximar-se, facilitando a comunicação, interação e liderança.

Vamos conferir alguns dos resultados da pesquisa?

A pesquisa descobriu que em todo o mundo tornar-se um líder era importante para 61% da geração Y, 61% da geração Z e 57% dos entrevistados da geração X. Mas as respostas variaram de acordo com o país: por exemplo, nos países nórdicos, os entrevistados tinham uma probabilidade significativamente menor de cobiçar os papéis de liderança do que os do México.

Em geral, os profissionais da Geração Y e da Geração X possuem um grande interesse e entusiasmo com o coaching e o mentoring, principalmente quando pensam em profissionais e líderes de referência. No entanto, a Geração Z cita níveis mais altos de responsabilidade e mais liberdade como atributos atraentes da liderança.

As preferências de liderança de homens e mulheres também diferiram entre as gerações de gerações. Para a Geração X, 63% dos homens e 52% das mulheres disseram que se tornar um líder era importante para eles. Entre os profissionais da Geração Y e da Geração Z, foram 63% dos entrevistados do sexo masculino e 61% das mulheres. Em geral, as mulheres da Geração X são mais propensas a desfrutar do trabalho desafiador envolvido na liderança, bem como a orientar outras pessoas.

As mulheres da Geração Y também colocam oportunidades de liderar com ambição, enquanto as mulheres da Geração Z sentem que altos níveis de responsabilidade são a coisa mais atraente sobre liderança. Homens de todas as gerações estavam mais interessados ​​em lucros futuros e altos níveis de responsabilidade.

A pesquisa encontrou um forte interesse no empreendedorismo em todas as três gerações. Nossos resultados mostram que um em cada quatro estudantes (Geração Z) está interessado em iniciar seu próprio negócio. E entre os que já estavam no mercado de trabalho (profissionais da Geração Y e da Geração X), um em cada três desejava ser empreendedor.

Mais de 70% dos entrevistados em todas as gerações disseram que os acordos de trabalho flexíveis representam uma oportunidade importante para suas vidas profissionais nos próximos 10 anos. Todas as gerações estavam preocupadas se suas personalidades se encaixam com o local onde trabalham (50% dos entrevistados das Gerações Y e Z e 40% da Geração X).

Em suma, a pesquisa mostra que as empresas e os líderes precisam entender as diferentes preferências entre gerações, para assim tomar melhores decisões sobre desenvolvimento de liderança, tecnologia, treinamento e construção de cultura.

Vamos focar na geração Z

Em dezembro de 2017, os millennials (Geração X), virou praticamente coisa do passado. Calma, eles não vão sumir da terra ou virar uma peça de museu. Eles continuarão por aí por décadas e décadas. terão filhos, netos, bisnetos e continuarão consumindo e trabalhando. No entanto quem vai ditar as regras para a próxima década será a Geração Z.

Qual é o perfil da geração z?

A geração Z é pragmática. Isto é, estes jovens são realistas, práticos e buscam satisfazer suas necessidades tanto no campo profissional quanto no enriquecimento pessoal. São lógicos, autodidatas e responsáveis.

É uma geração que não quer se definir. Por exemplo, para esses jovens é importante quebrar estereótipos, como definição de gênero, idade ou classe. Eles valorizam ao extremo o próprio eu, e por isso, desconstroem rótulos, exalando a individualidade e entendendo a diferença entre as pessoas.

Naturalmente esse tipo de pensamento os leva para um traço de diálogo e agregação. Não são polarizadores, querem unir as diferenças em diálogos, são ativistas, compassivos e ponderados.

Essa será a primeira geração a viver uma ressaca da vida em rede. Devida a hiperexposição dos Millennials, a geração Z quer autenticidade e espontaneidade. Dessa forma nas redes sociais eles expõem suas fragilidades, intimidade explícita e valorizam a transparência.

Os “Zs” transitam por múltiplas comunidades e gostam de fazer parte de diversos grupos. Eles já não se importam com ideologias ou correntes de pensamentos. Buscam pontos de conexão entre pessoas e são inclusivos.

E claro, é uma geração que adotou um novo código universal, baseado em memes e emojis. São os filhos dos virais e da linguagem conectada da internet.

No resumo, essa geração busca verdade acima de tudo. Verdade nas marcas, nas instituições, religiões e relacionamentos. Não raro são multitarefas, podem estar conversando com alguém enquanto enviam um mensagem para outro grupo, ao mesmo tempo que chamam o Uber ou conferem as novidades no Instagram. O tempo sequencial deu lugar um tempo paralelo e conectado.

Liderando os “Zs”

Os reflexos do comportamento da geração Z formarão um dos maiores colapsos gerenciais já registrados. Uma vez que poucos modelos são referência para estes jovens. Eles irão questionar tudo, empresas, padrões, religiões e política.

Eles querem transparência e ética, instituições acessíveis e únicas. Isso significa que eles buscam relações de verdade, até no trabalho, na marca de roupa que usam e na igreja que frequentam.

O velho “eu mando e você obedece”, não irá funcionar. Portanto, é muito importante entender o seu papel como líder, a linha entre o guia e o guiado será muita tênue. A geração Z quer andar junto. É preciso ter em vista que eles não querem ser convencidos. São jovens inteligentes e informados. O que eles querem é ser conquistados. Mostre uma liderança empenhada, comunitária e aberta. Ouça-os, compartilhe experiências e faça com que esses jovens sintam-se especiais. Por isso não cale suas ideias e opiniões.

Essa é uma geração onde as relações autoritárias não terão vez, ao invés disso os “Zs” irão priorizar e valorizar relações de diálogo aberto e justo. Na educação, por exemplo, a tendência é a mudança do sistema de ensino. Cada vez mais voltado para o sentido de aprender, ajustando os conteúdos e metodologias às necessidades e vivências das crianças e jovens. Os professores serão parceiros e não raro irão aprender com seus alunos.

É uma geração que precisa, e vai fazer de tudo para ser ouvida pelos seus líderes. Logo não se oponha à essa característica. Use-a a seu favor, aprenda com esses jovens. Conecte-se ao mundo deles e mostre-se disponível à aprender com eles, essa é uma geração que sempre estará um passo à frente dos mais velhos.

Como os “Zs” são hipercognitivos, capazrd de transitar por múltiplas realidades, eles também são hiperpersonalistas. Querem a experiência radicalmente customizada. E como isso se adequa a um líder?

Bem, é necessário sair da casca e mostrar-se aberto e transparente. Essa é uma geração que defende veemente causas reais e atuação rigorosa e constante como agentes de transformação. Seja um líder humano, real e disponível. Você não precisa ser perfeito, precisa fazer os corações desses jovens baterem mais forte por uma causa. Eles consomem verdade e ética.

Diante disso, você está disposto a aprender com eles? Se sim, a sua liderança será motivo de alegria, aprendizado e trará grandes resultados. Esse jovens, se conduzidos da maneira certa e ouvidos, irão criar e irão movimentar o mundo a grandes mudanças! Faça parte disso.

Artigos Relacionados

pai

Existe uma fórmula para ser um pai e uma mãe de sucesso?

"Eis vossa obra, pais: desenvolver o caráter de vossos filhos em harmonia com os preceitos da Palavra de Deus. Essa...
Leia mais
filmes

05 filmes que vão inspirar os jovens no exercício da vida cristã

Ensine os jovens sobre o exercício da vida cristã de uma forma divertida e atraente, através dos filmes. Ensinar os...
Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X