Tipos de liderança e como desenvolve-las na prática da vida cristã

No conceito mais simples da palavra, líder é a pessoa que possui autoridade e poder para comandar e guiar os demais. É o indivíduo que exerce influência no comportamento ou no modo de pensar de alguém. E além disso, o líder é também quem tem a capacidade de administrar pessoas e equipes, gerenciando suas diferenças e mobilizando-as para um objetivo em comum. Comunicando valores de forma clara e tão fortemente que acabe por movimentar e motivar as pessoas em prol de uma bem ou meta em comum, através da sua liderança.

No entanto, além da definição do parágrafo acima a liderança pode ser muito mais profunda e complexa. Isso porque liderar pessoas requer um grande senso de responsabilidade, envolvimento e motivação por parte dos líderes. E também é preciso lembrar que a liderança tem muito mais a ver com o espírito e vontade de um líder, do que necessariamente a sua posição.

“Liderança é ação, e não posição.” – Donald H. McGannon

Liderar não significa apenas ter um cargo ou uma posição de destaque. Liderar significa tomar ações concretas e ir além daquela velha máxima já tão gasta “eu mando e você obedece.” É construir pontes, gerir o que realmente importa, é gerar valor aos componentes da equipe. Através da visão de um bom líder muitas coisas podem ser alcançadas.

Empresas, igrejas, grupos e até mesmo as nossas famílias são resultado do esforço de pessoas unidas em um propósito em comum. E todas elas possuem uma característica em comum, são guiadas por um líder.

Características importantes de um bom líder

Existem certas habilidades e características que são essenciais para aqueles que já lideram ou que pretendem liderar pessoas. Felizmente, muitas das características dos bons líderes não necessariamente nascem com eles. Na verdade elas são desenvolvidas ao longo do tempo. Através de experiências e aprendizados. Assim sendo, é possível estimular e desenvolver a liderança. Veja algumas das principais características de um líder:

  • Respeito e empatia
  • Paciência
  • Pensamento estratégico
  • Empreendedorismo
  • Capacidade de tomar decisões assertivas
  • Disciplina e organização
  • Proatividade
  • Compromisso
  • Habilidade em comunicação
  • Pensamento estratégico
  • Capacidade de adaptação

Quais são os principais estilos de liderança?

Na Bíblia podemos ler e aprender com a história de vários líderes e seus estilos de liderança. Alguns deles foram:

  • Líderes políticos – reis, como Davi, Salomão; Juízes, como Moisés e Josué; governadores, como Hamã e Pilatos – tratavam do país, das leis e da justiça.
  • Líderes de guerra – guerreiros, como Gideão, Sansão, Sísera e Joabe – organizavam os exércitos para a guerra e traçavam os planos para vencer.
  • Líderes administrativos – como José, Esdras e Neemias – sabiam organizar as funções de diferentes trabalhadores e gerir finanças e recursos.
  • Líderes espirituais – como Jesus, Samuel, Isaías os levitas – ensinavam e guiavam o povo para o arrependimento e a reconciliação com Deus; ajudavam as pessoas a crescer espiritualmente.
  • Líderes de família – como Abraão, Jacó e Jó – tomavam conta de suas famílias e protegiam-nas; tinham um papel importante na educação dos filhos.

Os estilos de liderança dizem respeito às estratégias utilizadas para motivar, organizar e interagir com os seus liderados. Você já deve ter ouvido falar, por exemplo, dos estilos de liderança autocrático, democrático e liberal situacional. Vamos entender melhor cada uma delas?

Liderança Autocrática (foco no chefe)

Neste modelo, o líder é o centro de todas as atenções e decisões. Ele centraliza todo o poder de tomada de decisões em si mesmo. E normalmente ele não permite que os liderados participem das decisões estratégicas.

Esse estilo de liderança é caracterizado por cobranças de resultados, pressão e quase não é permitida a intervenção de membros do grupo nas escolhas.

Atualmente ainda é possível ver esse tipo de liderança em muitas instituições, apesar de muito se falar sobre a importância dos colaboradores, funcionários e membros no processo de gestão de uma instituição. Infelizmente esse tipo de liderança é responsável por uma grande perda de possíveis talentos, além de resultar em um descontentamento geral da equipe e desmotivação nas atividades.

Liderança Democrática (foco no líder e na equipe)

Diferente do estilo de liderança citado acima, a democrática faz o caminho contrário. O líder democrático inclui os seus liderados nas decisões, fazendo que todos participem ativamente da construção de soluções e resultados. Através de consultas de opiniões, solicitação de ideais e feedbacks, dando espaço para propostas e motivando todos os membros em prol de um bem em comum.

A Liderança Democrática pensa no bem-estar coletivo. Busca desenvolver os membros da sua equipe oferecendo-lhes a oportunidade de aprimorar os seus conhecimentos e crescer de maneira real. A comunicação é mais direta e efetiva, pois as relações interpessoais são amplamente encorajadas.

Como consequência o grupo se sente mais estimulado a dar o seu melhor, o que como consequência aumenta a sua satisfação no trabalho e projetos.

Liderança Liberal (foco na equipe)

A Liderança Liberal é o extremo oposto da autocrática, pois defende a total liberdade da equipe na tomada de decisões. Esse estilo de liderança não necessita de um líder, o que parece ser um pouco contraditório. No entanto, esse modelo entende que os membros da equipe possuem a capacidade necessária para tomar decisões maduras. Sendo qualificada, capaz e suficiente de gerenciar o trabalho sem a supervisão de um líder.

No entanto, aqui pode estar escondido uma armadilha. Por mais utópico que pareça, na maioria dos casos, essa total liberdade pode resultar em alguns problemas, dependendo da realidade da equipe. Por exemplo, em uma empresa os funcionários de uma liderança liberal podem afetar diretamente a produtividade, motivação e desempenho de qualidade. Já que não existe ninguém para guia-los em direção às metas.

Liderança Situacional (foco nas situações e no nível de maturidade dos profissionais)

Esse estilo de liderança é totalmente adaptativo, isso porque ela é exercida de acordo com o nível de maturidades dos membros da equipe. Aqui o gestor, ou líder, será aquele que conseguir se adaptar com mais rapidez, agilidade, estratégia, inteligência e assertividade em relação às demandas. O que significa que para conquistar alto desempenho, o líder situacional precisa desenvolver várias formas de liderança, ou seja, estar preparado para assumir os mais diferentes papéis. Estando preparado para quase tudo.

O líder situacional precisa avaliar os cenários e contextos e, especialmente, o nível de capacitação técnica, comportamental e emocional dos seus profissionais, de modo a atribuir-lhes suas tarefas corretamente e obter os resultados esperados.

Liderança cristã na prática

Agora que já entendemos o que liderança, quais são os tipos e as principais características de um bom líder vamos entender como ela se aplica à vida cristã. Ellen G. White nos dá alguns bons conselhos sobre esse tema. Olha só!

Liderança na oração

“A vereda dos homens que estão colocados como líderes não é fácil. Mas devem eles ver em cada dificuldade um chamado à oração. Jamais devem deixar de consultar a grande Fonte de toda a sabedoria. Fortalecidos e iluminados pelo Obreiro-Mestre, serão capacitados a permanecer firmes contra pecaminosas influências e a discernir entre o certo e o errado, o bem e o mal. Aprovarão o que Deus aprova, e empenhar-seão com todo o fervor contra a introdução de princípios errôneos em Sua causa.” — Profetas e Reis, 31.

Liderança cristã em contato com Deus

“Os que estão empenhados na obra de Deus não poderão servir em Sua causa de modo aceitável, a menos que façam o melhor uso dos privilégios religiosos que desfrutam. Somos como árvores plantadas no jardim do Senhor; e Ele vem a nós buscar os frutos que tem direito de esperar. Seus olhos pousam sobre cada um; Ele lê nosso coração e conhece nossos caminhos. É esse um exame solene, porque diz respeito ao nosso dever e à nossa sorte, e é executado com grande interesse.

Que cada qual que tem encargos sagrados se pergunte: ‘Como enfrentarei o olhar perscrutador de Deus? Porventura meu coração está isento de toda a contaminação? Ou os átrios do Seu templo se têm profanado, sendo invadidos por compradores e vendilhões a ponto de não ficar lugar para Cristo?’ O afã dos negócios, se contínuo, faz esmorecer a espiritualidade e deixa a alma vazia de Cristo.

Quando os homens, embora professando a verdade, levam dias sem se comunicar com Deus, são induzidos a atos estranhos e a tomar decisões que não estão de acordo com a vontade divina. Nossos irmãos não agirão com segurança deixando-se levar por meros impulsos; isto não é estar unidos a Cristo e proceder de acordo com a Sua vontade. Incapazes, em tais condições, de reconhecer as necessidades da causa, Satanás os induzirá a assumir atitudes que embaraçarão e estorvarão a obra.” — Testemunhos Seletos 2:132, 133.

Contemplando a Jesus

“Nenhum homem possui em si mesmo poder e autoridade tão elevados que Satanás não o ataque com tentações. Quanto mais elevada for a posição de responsabilidade que um homem ocupa, mais ferozes e determinados serão os ataques do inimigo.

Que os servos de Deus em todos os lugares estudem Sua Palavra, olhando constantemente a Jesus para serem transformados à Sua imagem. A plenitude inexaurível e a total suficiência de Cristo estão à nossa disposição se andarmos diante de Deus em humildade e contrição.” — Manuscrito 140, 1902.

Líderes, pessoas de oração

“Presidentes de Associações, vocês serão sábios se decidirem ir a Deus. Creiam nEle. Ele ouvirá as suas orações e virá em seu auxílio, em muito menos tempo do que os transportes públicos poderiam levar um, dois, três ou quatro homens de uma grande distância, e com grande dispêndio, para decidir questões que o Deus da sabedoria de maneira muito melhor pode decidir para vocês.

Ele prometeu: ‘E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e o não lança em rosto; e ser-lhe-á dada.’ Tiago 1:5. Se sinceramente humilharem o coração diante dEle, esvaziando a alma do amor- próprio, removendo os defeitos naturais do caráter e vencerem o amor à supremacia, indo a Deus como uma criancinha, conceder- lhes-á Ele o Seu Santo Espírito. Quando dois ou três concordarem em fazer qualquer coisa, e no nome de Jesus pedirem ao Senhor, ser- lhes-á feito.” — Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos.

liderança eclesiastica

Artigos Relacionados

criacionismo

7 livros sobre o criacionismo que você precisa ler

Aprenda mais sobre o criacionismo através da leitura. Veja uma lista com livros que irão tirar todas as suas dúvidas...
Leia mais

5 aplicativos que toda mulher precisa usar para cuidar da saúde emocional

Cuidar da saúde emocional é tão importante quanto cuidar da saúde física. No entanto, muitas vezes esquecemos que não é...
Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X